Tag: Infraestrutura (page 1 of 2)

Cansados de esperar da Prefeitura, moradores da Redenção iniciam “tapa-buracos”

Cansados de esperar ações da prefeitura, moradores se mobilizaram

Em uma força-tarefa, moradores do bairro da Redenção, na área do Filipinho, em São Luís, iniciaram a “Operação Tapa-Buracos” neste domingo (8). A Rua 3, a principal, foi coberta por cimento nos trechos com crateras e aberturas menores.

A força-tarefa começou por volta das 7h30, com os moradores concentrados em um trecho crítico da rua, que foi interditada com cones e fita zebrada para que nenhum veículo trafegasse pela via pública. Munidos de enxada, pás, carro de mão, vassouras e outras ferramentas, os populares cobriram os buracos com cimento.

Cada um contribuiu com um valor para comprar materiais para tapar os buracos

Cada morador fez a doação de valores entre R$ 50 a R$ 100, para a compra do material, como cimento e areia. A ação foi realizada porque vários acidentes foram registrados no bairro por conta das crateras, sendo que idosos e crianças já caíram e se machucaram.

Recentemente, os moradores da Redenção e bairros adjacentes fizeram um protesto na Avenida São Marçal, no Filipinho, bloqueando a via expondo faixas que mostravam o teor da manifestação referente à infraestrutura, mas, até agora, a Prefeitura nem ao menos enviou uma mensagem de esperança ou justificativa.

Avenida dos Africanos é interditada por populares

Moradores reclamam da falta de infraestrutura do bairro e do abandono do poder público na região

Alegando falta de infraestrutura e situação precária do sistema de galerias e de esgoto, moradores atearam fogo em pneus e pedaços de madeira, em sinal de protesto. A manifestação ocorre na altura do bairro do Coroado e interditou as duas vias da Avenida dos Africanos.

Segundo os manifestantes, a Prefeitura de São Luís chegou a iniciar uma obra de drenagem e novas galerias no bairro, mas nenhum serviço foi efetivamente realizado até o momento. A comunidade sofre com alagamentos constantes e reivindicam melhorias há cinco anos.

O trânsito está lento em decorrência da manifestação e outras vias também sofreram com o protesto. A Avenida Daniel de La Touche, dos Franceses e Jerônimo de Albuquerque também sofreram transtornos. Motoristas tentam utilizar rotas alternativas para escapar do congestionamento.

Protesto visa chamar a atenção do poder público

A Polícia Militar já chegou ao local para negociar com os manifestantes e tentar desobstruir o trânsito na avenida. Manifestantes querem a presença de representantes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes.

Vale lembrar que sete dias atrás moradores dos bairros do Filipinho, Sítio Leal, Coroado, Redenção, João Paulo, Jordoa e Quintas do Machado protestaram por melhoria do asfalto e por outras obras de infraestrutura e saneamento básico.

Há uma semana moradores do Coroado participaram de protesto na Avenida São Marçal

A Prefeitura de São Luís ainda não se manifestou sobre o novo protesto, que desta vez interditou as duas vias da Avenida dos Africanos.

Paço do Lumiar arrecada apenas 61,94% do previsto até abril

Paço do Lumiar arrecadou 39% a menos no primeiro quadrimestre do ano

A Prefeitura de Paço do Lumiar arrecadou R$ 53.380.889,00 dos R$ 86.172.921,00 que estavam previstos – o que equivale a apenas 61,94% da arrecadação do município. Os dados apresentados são referentes às Metas Fiscais e Execução Orçamentária do 1º Quadrimestre de 2017, ocorrida em audiência pública nesta quarta-feira (31), no plenário da Câmara Municipal.

Com menos recursos para investir em políticas públicas, a secretária Núbia Feitosa, responsável pela pasta de Administração e Finanças, disse ter expectativa pelo crescimento do orçamento a partir de julho, quando começa o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbana. Vale lembrar que os valores da planta genérica não são reajustados desde 2001.

“É bem difícil ser feita uma arrecadação justa com este código tributário tão ultrapassado. A partir dos próximos meses, teremos mais condições de resolver pendências e cumprir com nossas obrigações de forma mais efetiva”, assinalou a secretária.

Entre as providências da equipe da Fazenda Municipal está a atualização do Código Tributário do Município, ainda de 2001. Esta falta de atualização cria distorções, principalmente nos valores do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), cuja campanha 2017 deverá ser lançada em julho.

As quedas do Fundo de Participação do Município (FPM) e na arrecadação do ICMS, além da distorção populacional – o município diz que têm mais de 160 mil habitantes, mas dados oficiais do IBGE apontam que a cidade tem menos de 120 mil, o que acaba refletindo sobre os valores do recurso do Fundo Especial e comprometendo os investimentos necessários.

A gestão de Domingos Dutra (PCdoB) afirma que a estimativa de arrecadação é uma obrigação legal prevista na Lei Federal n°4.320/1964, que define normas para o controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados e dos Municípios. Também reitera o compromisso da gestão em garantir a segurança no trânsito e a convivência urbana.

Moradores ironizam buracos no Parque Atenas

Moradores ironizaram descaso com o bairro

Moradores protestaram contra a buraqueira que toma conta das principais ruas do bairro Parque Atenas, na região metropolitana de São Luís. Uma placa foi instalada no local ironizando a situação: “Prefeito, cadê o asfalto que tava aqui?”

Segundo moradores, o problema persiste há quatro anos sem que providências fossem tomadas. A irregularidade no pavimento faz com que os condutores tenham dificuldades de trafegar pelas ruas do conjunto.

Para tentar amenizar os prejuízos causados pela buraqueira, a população chegou a improvisar reparos em algumas ruas. Em vários pontos eles usaram cimento, pedras britas e areia para improvisar reparos.

Moradores têm dificuldade para transitar

O aposentado Luís Campelo é um dos moradores mais antigos do bairro. Ele lamenta o abandono do poder público e critica a postura adotada pelo poder municipal.

“Vocês mostram a coisa como tá aí, quando chega depois a prefeitura diz o seguinte: Já está programado. E pronto. Esse programado, esse agendado não acontece nunca”.

Em nota, a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) disse que as ruas do bairro estão inclusas no cronograma de serviços de requalificação do asfalto que está sendo executado pela Secretaria. No entanto, não deu previsão de quando vai realizar os reparos.

Moradores do Residencial da Ribeira interditam BR-135

Interdição acontece no km 05

Moradores do Residencial Ribeira, na Zona Rural de São Luís bloquearam o Km 5 da BR-135 nesta terça-feira (2). Eles protestam por melhorias na infraestrutura, transporte público e educação.

O bloqueio começou por volta das 4h e fechou os dois lados da rodovia e terminou por volta das 8h40. Os moradores cobram serviço de asfaltamento, e denunciam que o ônibus não está indo mais até o ponto final por causa dos buracos.

O Residencial da Ribeira foi entregue no começo do ano de 2015, mas já apresenta vários problemas de infraestruturas. Quem mora no local reclama do abandono do poder público.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local acompanhando o protesto. A Prefeitura de São Luís ainda não se pronunciou sobre as reivindicações dos moradores do residencial.

Veja o vídeo:

Chuva causa alagamento na Avenida dos Africanos em São Luís

Chuva deixou trecho ficou completamente submerso

A chuva forte registrada em São Luís, na tarde desta quarta-feira (19), causou alagamentos e transtornos em diversos pontos da cidade. Não há registro de feridos, segundo o Corpo de Bombeiros. Até às 16h, a Defesa Civil não havia registrado ocorrências em áreas de risco.

Na Avenida dos Africanos, vários pontos ficaram completamente alagados. Muitos motoristas que seguiam pela avenida tiveram que redobrar a atenção, principalmente pelos buracos escondidos pela água acumulada na via.

Um internauta enviou um vídeo ao Blog do Michel Sousa mostrando um pouco do problema que pedestres e motoristas precisam enfrentar durante o período chuvoso na capital. Nas imagens é possível ver a dificuldade dos veículos e as calçadas cheias de água. (Veja vídeo abaixo)

Situação de escolas de São Luís é crítica, aponta relatório

No dia 27 de março o teto da escola Darcy Ribeiro desabou sobre 30 alunos

A situação nos prédios das escolas da rede pública municipal de São Luís foi considerada grave por parlamentar da Câmara de Vereadores. O panorama foi divulgado nesta terça-feira (18) por meio de um relatório. Entre os principais problemas encontrados estão: infraestrutura, segurança dos alunos e falta de merenda escolar.

O vereador Francisco Chaguinhas (PP) apresentou o relatório da primeira etapa da vistoria realizada em 36 escolas da rede municipal de educação. “Visitamos cerca de 36 escolas e pude ver o quanto as mesmas estão em situações críticas, tanto na parte de infraestrutura quanto na parte da segurança dos alunos. É preciso olhar mais para a educação de nossa capital. O gestor, hoje, tem por obrigação fazer as garantias de direitos de toda a comunidade escolar. É triste vermos essa situação, chegamos ao absurdo dos absurdos”, disse.

Vereador criticou a omissão do poder municipal

Segundo o parlamentar, a educação nunca foi prioridade na gestão do atual prefeito, que, mais uma vez, mostrou que não governa para o povo. “Lamentável ver que nessa gestão, a educação nunca foi prioridade. O gestor investe em outras pastas, mas a educação fica à mercê do Poder Executivo, e quem paga com tudo isso é o povo que fica penalizado, mediante a tanta irresponsabilidade do gestor municipal”, disse.

Merenda Escolar

O vereador cobrou respostas da gestão municipal sobre os motivos da falta da merenda escolar nas escolas da rede municipal de ensino. Segundo o Sindicato dos Professores, isso prejudica o calendário escolar, pois os alunos estão sendo liberados antes do previsto. Chaguinhas ainda cobrou uma resolução imediata do executivo municipal.

“A prefeitura de São Luís, hoje, deixa as crianças sem o lanche da escola. Com isso, a direção é orientada a liberar mais cedo os alunos. Ora, isso prejudica o calendário escolar e prejudica o aprendizado das nossas crianças. Peço a sensibilidade do Executivo Municipal para que venha resolver o mais rápido possível essa problemática”, finaliza.

Deputado critica 100 dias de gestão de Edivaldo Holanda Jr

Deputado criticou o fim das parcerias Governo e Prefeitura

O deputado Eduardo Braide destacou, nesta terça-feira (18), na tribuna da Assembleia, a situação de abandono em que São Luís se encontra. Além disso, o parlamentar questionou os motivos que teriam paralisado as obras, realizadas, segundo as propagandas, por meio da parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura da capital.

Braide citou algumas das promessas de campanha que deveriam ser cumpridas nos primeiros dias de governo. A primeira delas e também a mais básica, é a coleta de lixo. “A cidade vive um completo abandono. Buracos, lixo, escolas desabando, alunos sem merenda e sem aulas, falta de remédios e materiais básicos nos hospitais e unidades de saúde, salários de contratados atrasados, calote nas manifestações culturais” afirmou.

O parlamentar criticou ainda o problema com o sistema de bilhetagem eletrônica do transporte público. Braide disse que, passados os cem primeiros dias da nova gestão, o prefeito Edvaldo Holanda Júnior ainda não cumpriu nenhuma das promessas feitas.

Problema no sistema de recarga eletrônica é um dos problemas citados por Braide

“Se já não bastasse a incompetência administrativa do prefeito, em vez de Wi-Fi, a prefeitura voltou a vender passe escolar, porque não consegue resolver o problema da bilhetagem. Enquanto outras capitais comemoram avanços em 100 dias de gestão, o que São Luís tem para mostrar? Cadê a parceria do Governo do Estado nas obras? ”, disse o deputado.

Além das críticas, o deputado disse estar contribuindo com o desenvolvimento de São Luís. Ele relembrou a emenda parlamentar de R$ 400 mil destinada à Prefeitura para reforma da do mercado do Anjo da Guarda – local tem sérios problemas de infraestrutura.

“Destinei, já este ano, uma emenda no valor de R$ 400 mil para que a Prefeitura de São Luís possa reformar o mercado do Anjo da Guarda que está com o telhado prestes a cair, da mesma forma como aconteceu com o mercado do Vicente Fialho. “Que o prefeito de São Luís acorde e possa receber essa emenda e não fazer como fez no ano passado, quando perdeu uma emenda de nossa autoria no valor de R$ 300 mil”, pontuou.

O deputado cobrou o retorno da parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís, bastante evidenciada na televisão durante o período da última campanha eleitoral. Ele citou a paralisação das obras do Hospital da Criança e a falta de medicamentos e materiais básicos nos hospitais e nas unidades de saúde da capital.

Problemas de infraestrutura são vistos em todos os bairros capital

“No ano passado, o governador foi para a televisão pedindo que o prefeito fosse reeleito; dizendo que se isso acontecesse, as parcerias iriam continuar, e até aumentar. Cadê as máquinas de asfalto? Desapareceram. E despareceram no dia 30 de outubro. Portanto, se há um culpado em relação a situação que São Luís enfrenta hoje, não é só a incompetência do prefeito, mas o desrespeito e a falta de compromisso do governador do Estado, Flávio Dino, que juntamente com o prefeito de São Luís enganou a população” afirmou.

Para encerrar seu discurso lançou um desafio: “Eu desafio qualquer deputado a subir na tribuna e apontar os feitos da prefeitura e a parceria desta com o Governo do Estado em 2017. Não existe trabalho. Não existe mais parceria. E quem sofre as consequências é a população de São Luís, é a população do Maranhão”, finalizou Eduardo Braide sem que nenhum parlamentar tenha aceitado o desafio e subido à tribuna para contrapô-lo.

Buracos colocam em risco segurança de pedestres e motoristas na Redenção

Problemas na via colocam em risco os idosos do bairro da Redenção

Moradores da Redenção, em São Luís, denunciam que uma erosão vem ‘engolindo’ a Rua 3. Rachaduras profundas impedem a passagem de carros em metade da pista e colocam em risco pedestres, pois a via está cheia de rachaduras, sulcos e buracos.

Eles temem que a erosão avance ainda mais e chegue às casas. “A tendência é só piorar você vê que o asfalto já baixou. Quando vir outra chuva a gente pode estar dentro do buraco, que por enquanto ainda está na rua, já tomou metade da rua”, diz o Eduardo Mello.

Moradores denunciam que sofrem com a situação há cinco anos

A população denuncia ainda o risco que o problema oferece aos idosos, além de prejuízos financeiros aos motoristas que passam pela via. “Idosos tropeçam constantemente nesses buracos e não é raro carros apresentarem problemas mecânicos ao trafegarem diariamente pelas aberturas, que ficam cheias de pedras e terra” disse Adriana Costa, moradora do bairro.

O problema afeta a comunidade há cinco anos. O titular do blog entrou em contato com a prefeitura de São Luís e aguarda posicionamento sobre o problema.

Prefeitura ainda não se posicionou

Cratera coloca em risco moradores e motoristas no Jardim São Cristóvão

O asfalto cedeu por conta da chuva

Os Moradores do Jardim São Cristóvão 1, em São Luís, estão tendo que conviver com os estragos causados pelo período chuvoso. A chuva fez o asfalto ceder na Avenida 2 no cruzamento com a Rua 2 e está causando transtornos e prejuízos aos moradores. Quem mora ou apenas passa pelo local, encontra situações de perigo diariamente.

De acordo com a população, no local havia apenas um buraco no canto direito da calçada e com a chuva abriu uma “cratera”. Canos da rede de abastecimento já romperam, carros e até pessoas já caíram nos buracos. A situação é muito pior quando os buracos ficam encobertos pela água da chuva.

Quem passa pelo local tem que redobrar a atenção

“O prefeito começou as obras na Avenida 2, mas no meio do serviço pegou as máquinas, foi embora e não apareceu mais. Há vários anos reclamamos da situação e ninguém faz nada” desabafou Ewerton Silva.

Para não causar sérios acidentes aos motoristas e pedestres que trafegam, a comunidade teve que improvisar com galhos de árvores e até uma cadeira já foi colocada no meio da rua para sinalizar o enorme buraco. Mas o problema não fica apenas na rua. A calçada de uma casa também está quase cedendo.

Moradores reclamam que prefeitura iniciou reparo, mas interrompeu obra

O titular do blog entrou em contato com a prefeitura de São Luís para pedir esclarecimentos sobre a situação dos moradores do Jardim São Cristóvão 1 e ainda aguarda posicionamento.

Veja os vídeos abaixo:

Older posts

© 2017 Blog do Michel Sousa

Blog desenvolvido por: Bruno AlvesUp ↑