Tag: Complexo de Pedrinhas

Foragido de Pedrinhas está entre os suspeitos de planejar assalto a banco em SP

Foragido estava participando da tentativa de roubo a banco que renderia R$ 1 bilhão ao grupo criminoso

Um dos assaltantes presos na zona sul de São Paulo depois de ser descoberto um túnel na tentativa que seria o maior assalto a banco do mundo é maranhense. A informação foi confirmada pela Polícia Civil do Maranhão depois de integração com a polícia paulista.

Marcos Paulo Chini, também conhecido como “papel”, está foragido do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, desde o dia 16 de maio deste ano quando foi beneficiado pela saída temporária do Dia das Mães.

Papel foi preso no dia seis de novembro de 2015 por policiais civis da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic)  e Greco-PI após participação no assalto a Caixa Econômica Federal da cidade de Bacabal onde foi subtraída a quantia de R$ 1 milhão de reais.

O mandado de recaptura foi enviado ao departamento de roubo a banco da Polícia Civil de São Paulo para o devido cumprimento e após as formalidades legais será aguardada a decisão judicial para realizar seu recambiamento ao estado do Maranhão.

(Com informações do G1 MA)

Estelionatário é preso com arma e documentos falsificados em São Luís

Estelionatário estava com vários documentos originais e falsificados, além de uma arma de fogo

Um homem foi preso nesta quarta-feira (6) em São Luís por falsificação de documentos. Arioston Oliveira Ferreira, de 30 anos, foi preso em flagrante com documentos de identidade de diversas pessoas, documentos de identidade falsos, impressoras, CPU, Notebook, uma pistola calibre ponto 40 com carregador e seis cartuchos.

Segundo a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), Arioston Oliveira Ferreira, 30 anos, estaria falsificando documentos com a intenção de aplicar golpes no comércio. Durante a abordagem realizada na casa do suspeito, no bairro São Cristóvão, o criminoso apresentou aos policiais o documento falso em nome de Domingos Rufino Silva.

Arioston foi preso em 2010 quando fingiu ser um policial civil

Em 2010, Arioston foi preso ao tentar se passar por policial civil – na época foram apreendidos com ele uma pistola ponto 100 calibre 40, algema e cassetete. Em 2008, ele também foi preso pelo roubo da pousada Pandora.

Arioston Oliveira Ferreira foi encaminhado para a sede da Seic, onde foi autuado em flagrante por uso de documento falso e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, sendo encaminhado ao Centro de Triagem de Pedrinhas onde permanecerá à disposição da Justiça. 

Auxiliar é demitido após agredir preso que matou agente

Auxiliar foi demitido depois de agredir assassino de agente penitenciário

Um auxiliar de segurança penitenciária foi demitido nesta segunda-feira (10) após agredir Idael Melo Roxo, preso por ter executado o agente penitenciário provisório Jorge Luís Lobo da Cunha, 38 anos, na tarde de domingo (9) na Avenida Litorânea (Reveja).

O auxiliar teria ficado revoltado com a morte do amigo e deu um soco no detento.  Neste mês, o funcionário, que foi contratado como temporário, completaria um ano no sistema prisional do estado do Maranhão.

O governo disse que a demissão tem o objetivo de preservar os direitos dos presos.  O preso agredido fez exame de corpo de delito e passa bem. Idael tem outras quatro passagens pela polícia, inclusive por homicídio cometido em setembro de 2016.

Governo enviou nota dizendo que preso está bem e que funcionário foi demitido

Os auxiliares penitenciários temporários não possuem porte de arma fora do ambiente de trabalho, o que facilita a ação de bandidos. “É revoltante, pois por mais que ele tenha se excedido existem graus de punição como advertência, suspensão, mas logo de imediato a demissão? Um absurdo o colega ter sido demitido assim” lamentou um auxiliar de segurança penitenciária.

Nesta segunda-feira uma nota de repúdio foi publicada por alguns amigos de Jorge Lobo da Cunha.

Veja abaixo:

Veja as fotos dos 16 presos foragidos de Pedrinhas

Veja como são os 16 foragidos de Pedrinhas

No último domingo (21), a Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP do Complexo Penitenciário de Pedrinhas foi atacada por criminosos que pretendiam libertar um grupo de assaltantes de banco ligados a uma quadrilha interestadual. O número de foragidos foi atualizado pelo governo nesta quarta-feira (24), após recontagem dos presos.

A informação foi confirmada pelo delegado Thiago Bardal após a prisão de três foragidos em um bar na Vila Luizão, em São Luís. “A primeira lista divulgada pela Seap estava incompleta” afirmou o responsável pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic).

Até o momento, 15 presos foram recapturados, cinco morreram e 16 permanecem foragidos. Com isso, o número de presos que fugiram da unidade no dia 21 de maio é de 36 detentos, e não 32, como informado anteriormente pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

Veja a lista de foragidos:

Gealison de Jesus Carvalho

Evandro Pereira Araújo

Pedro Cesar Pereira Paz

Claúdio Kelson de Sousa Rodrigues (assaltante de banco)

Vanderluz Gomes da Silva

Fernando Machado Vasconcelos

Antônio Anderson Miranda de Araújo

Raimundo Bruno dos Santos Carvalho

Renato Costa Sousa

Ronaldo Mourão Teixeira

Fábio Lima Silva

Wellington Monteiro dos Santos

Germano Cesar Oliveira

Webert Farias de Oliveira

Joilson de Jesus Martins Moreira

Thalisson Henrique Rodrigues Cardoso

Fugitivos de Pedrinhas são recapturados em bar da Vila Luizão

Fugitivos foram recapturados em um bar na Vila Luizão

Três fugitivos que haviam escapado a Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP do Complexo Penitenciário de Pedrinhas apareceram em um bar e acabaram sendo recapturados pelo Esquadrão Garra da Polícia Militar na madrugada desta quarta-feira (24).

O número de foragidos foi atualizado pelo governo nesta quarta-feira (24), após recontagem dos presos. A informação foi confirmada pelo delegado Thiago Bardal após a prisão destes três foragidos. Com a atualização o número de internos ainda foragidos é 16.

Os presos foram identificados como Ivan Pereira de Jesus (Tocantins), Roni Peterson Silva (Minas Gerais) e Jhemisson Ferreira Santos (Pará) e fazem parte do grupo que motivou o ataque ao presídio, quando foram usados explosivos para abrir um buraco no muro do CDP.

Com a prisão destes três, as forças de segurança do Governo do Estado chegam a 15 detentos recapturados e cinco morreram em confronto com policiais: dois nas dependências de Pedrinhas (Reveja), um no Itapera (Reveja) e dois em operação na Vila Conceição (Reveja).

Relembre o caso

36 presos fugiram do antigo Centro de Detenção Provisória (CDP) na noite deste domingo (21). Eles foram ajudados por homens armados com fuzis que usaram explosivos para derrubar parte do muro no fundo  do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, o maior presídio do Maranhão. A fuga ocorreu após explosão de um muro do Centro de Detenção Provisório (CDP), entre 20h e 21h.

Dois fugitivos morrem em confronto com a polícia na Vila Conceição

Dois fugitivos eram assaltantes de banco e faziam parte do grupo que motivou o ataque em Pedrinhas.

Dois fugitivos da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP do Complexo Penitenciário de Pedrinhas foram mortos em troca de tiros com policiais da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico, Centro Tático Aéreo e Polícia Militar no fim da tarde desta terça-feira (23).

Os presos identificados como Valdemir Laurindo Flores e Ronalth Correia Coelho eram assaltantes de banco e faziam parte do grupo que motivou a operação de resgate registrado ao presídio, quando foram usados explosivos para abrir um buraco no muro do CDP.  (Reveja)

Eles estavam escondidos na residência do líder do tráfico na Vila Conceição, um homem identificado como Leonilson dos Santos Nascimento, o Codó. Um fuzil e uma pistola que foram usados durante a fuga, no fim de semana, foram apreendidos na casa de Leonilson.

Fuzil usado no ataque a Pedrinhas

Durante a operação comandada pela Senarc, dois policiais civis também foram baleados, mas não correm risco de morte.

Dos 32 presos que fugiram do Complexo de Pedrinhas, 12 foram recapturados, cinco foram mortos e 15 continuam foragidos, segundo informou a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic).

Saiba mais

No começo da tarde, outros dois fugitivos voltaram ao sistema prisional: Alisson Pereira Lima, 22 anos, e Kassio Girdeu Carvalho Ribeiro, 33 anos, recapturados em uma área de mangue no Quebra Pote, zona rural de São Luís. (Reveja)

Dois fugitivos capturados no Quebra Pote

Outro preso foi recapturado em Rosário, enquanto viajava em um ônibus. Paulo de Caldas, natural do Ceará, também estava foragido e é assaltante de banco. Ele foi preso por homens do 7º Comando Independente da Polícia Militar.

Sobe para 11 número de presos recapturados após fuga em Pedrinhas

Sobe para 11 o número de recapturados

Mais dois presos que fugiram após ataque ao prédio da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP do Complexo Penitenciário de Pedrinhas (Reveja), foram recapturados pela Polícia Militar no começo da tarde desta terça-feira (23).

Com isso, sobe para 11 o número de fugitivos recapturados. Outros três detentos morreram em confronto com a polícia e agentes penitenciários, enquanto 19 seguem foragidos, segundo pontuou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). (Relembre)

Os fugitivos Alisson Pereira Lima, 22 anos, e Kássio Girdeu Carvalho Ribeiro, 33 anos, estavam escondidos em uma área de mangue no Quebra Pote, zona rural de São Luís, quando foram localizados e recapturados pelo Grupo de Serviço Avançado do 21º Batalhão da Polícia Militar.

Alisson cumpre pena de 12 anos e um mês em regime fechado por assassinato e tentativa de assassinato em Imperatriz, enquanto o comparsa cumpria pena de 28 anos e seis meses por tráfico de drogas.

Ataque a Pedrinhas diz que intenção era resgatar sete ladrões de banco, segundo delegado Thiago Bardal

A Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) acredita que mais presos podem estar escondidos na região, conforme um dos fugitivos recapturados. “Em conversa informal eles disseram que na região se encontram outros foragidos” disse o delegado Thiago Bardal, titular da Seic.

De acordo com o delegado Thiago Bardal, a ação criminosa foi planejada com o intuito de resgatar sete detentos que fazem parte de uma quadrilha interestadual de assalto a banco.  (Veja novamente)

Os dois serão interrogados para explicar como se deu a fuga, assim como toda dinâmica do fato e posteriormente encaminhados novamente ao Complexo de Pedrinhas, rebatizado pelo atual governo como Complexo Penitenciário de São Luís.

Presos fugiram por buraco aberto em muro do CDP

Ataque a presídio foi para resgatar ladrões de banco, diz polícia

Ataque a Pedrinhas diz que intenção era resgatar sete ladrões de banco, segundo delegado Thiago Bardal

O ataque ao Centro de Detenção Provisória em Pedrinhas teve apenas um objetivo: resgatar sete assaltantes de banco ligados a uma facção criminosa que atual no Maranhão e em outras regiões do país.

A informação é do delegado Thiago Bardal, titular da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic).

O delegado afirmou que a fuga foi planejada para libertar os assaltantes de banco e que os demais detentos aproveitaram a situação. “Pelo inquérito instaurado, esses assaltantes foram os alvos desse resgate. Os demais foi oportunidade”, disse.

Um grupo armado com fuzis participou da explosão de parte do muro do CDP que resultou na fuga de 32 detentos. (Reveja). A preocupação agora é que esses bandidos cometam novos roubos a bancos do Maranhão.

Presos fugiram por buraco aberto em muro do CDP

A explicação para o temor é o fato de o grupo ter tido despesas geradas durante o ataque ao prédio do CDP. “Tiveram que alugar armamento, recrutar pessoas e tem uma dívida agora. Então eles vão buscar esse dinheiro na especialidade deles, o assalto a banco” explicou.

Policiais civis e militares seguem em busca dos fugitivos. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) informou que já abriu sindicância para apurar possível facilitação na fuga dos internos.

Saiba mais

Na manhã desta segunda-feira (22), três fugitivos foram recapturados e outro foragido foi morto durante confronto com homens da Polícia Militar, em Itapera, Zona Rural da capital. (Reveja)

Três fugitivos foram recapturados e outro morreu nesta manhã

Seis foram recapturados minutos depois da fuga, enquanto dois morreram na troca de tiros com agentes do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop). (Reveja)

Segundo a Seap, no total, três internos morreram durante a troca de tiros com a polícia, nove foram recapturados e 20 permanecem foragidos após a ação criminosa.

Nove detentos foram recapturados até agora

Três detentos são recapturados e outro morto em troca de tiros com a polícia

Três fugitivos foram recapturados e outro morreu nesta manhã

Sobe para nove o número de presos recapturados e para três a quantidade de detentos mortos após fuga em massa registrada na Unidade de Ressocialização São Luís 6 (o antigo CDP de Pedrinhas). (Reveja)

De acordo com a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), quatro fugitivos pegaram um carro-lotação na Praça da Bíblia e pediram para ficar na Área Itaqui-Bacanga. Na Avenida dos Portugueses anunciaram o roubo do veículo e seguiram até a Zona Rural de São Luís.

Na manhã desta segunda-feira (22), os fugitivos foram localizados pela Polícia Militar e trocaram tiros com os policiais. Um dos internos do CDP foi alvejado e morreu, os outros foram reconduzidos ao sistema penitenciário.

Policiais civis e militares seguem em busca dos fugitivos. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) informou que já abriu sindicância para apurar possível facilitação na fuga dos internos.

Presos fugiram por buraco aberto em muro do CDP

Relembre
32 presos do Pavilhão Gama fugiram com ajuda de homens armados com fuzis na noite deste domingo (21). O grupo usou explosivos para abrir um buraco na estrutura que serviu de passagem aos presos de duas celas do referido pavilhão.

Seis detentos foram recapturados e dois internos morreram durante troca de tiros entre bandidos e agentes penitenciários do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop). (Reveja)

Seis detentos foram recapturados durante a madrugada

Seis presos são recapturados e dois morrem após fuga em Pedrinhas

Seis detentos foram recapturados durante a madrugada

Seis detentos foram recapturados e dois internos morreram durante troca de tiros entre bandidos e agentes penitenciários do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop). Trinta presos passaram pelo buraco aberto após uma explosão no muro do Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas na noite deste domingo (21). Policiais civis e militares foram acionados, e seguem em busca dos fugitivos. (Reveja). 

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária disse que 24 presos permanecem foragidos e que a fuga ocorrida na noite deste domingo (21) no Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (o antigo CDP), ocorreu depois que parte do muro foi explodido. por homens armados.

Os internos estavam em duas celas do Pavilhão Gama e conseguiram passar pelo buraco aberto na estrutura do presídio pela explosão depois de serrarem as grades da cadeia.

Dois detentos morreram durante troca de tiros

Por estar separada do Complexo Penitenciário de São Luís, a UPSL 6 é a única unidade prisional masculina que ainda não dispõe de Portaria Unificada e inspeção por BodyScan, a exemplo das demais que compõe o complexo carcerário.

O caso é investigado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio do Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO) da Superintendência de Estado de Investigações Criminais (Seic), que terá 30 dias para a conclusão do inquérito policial.

Relembre
Vários presos fugiram do antigo Centro de Detenção Provisória (CDP), no Complexo de Pedrinhas, na noite deste domingo (21). Eles foram ajudados por homens armados com fuzis e explosivos que foram usados para derrubar parte do muro no fundo da cadeia.

Há suspeitas de que os bandidos já conheciam a rotina da cadeia a planejaram a ação. Policiais civis e militares, além do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop) estão em busca dos foragidos e dos criminosos. (Reveja)

Presos fugiram por buraco aberto em muro do CDP

© 2018 Blog do Michel Sousa

Blog desenvolvido por: Bruno AlvesUp ↑