Sobe para 11 o número de recapturados

Mais dois presos que fugiram após ataque ao prédio da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP do Complexo Penitenciário de Pedrinhas (Reveja), foram recapturados pela Polícia Militar no começo da tarde desta terça-feira (23).

Com isso, sobe para 11 o número de fugitivos recapturados. Outros três detentos morreram em confronto com a polícia e agentes penitenciários, enquanto 19 seguem foragidos, segundo pontuou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). (Relembre)

Os fugitivos Alisson Pereira Lima, 22 anos, e Kássio Girdeu Carvalho Ribeiro, 33 anos, estavam escondidos em uma área de mangue no Quebra Pote, zona rural de São Luís, quando foram localizados e recapturados pelo Grupo de Serviço Avançado do 21º Batalhão da Polícia Militar.

Alisson cumpre pena de 12 anos e um mês em regime fechado por assassinato e tentativa de assassinato em Imperatriz, enquanto o comparsa cumpria pena de 28 anos e seis meses por tráfico de drogas.

Ataque a Pedrinhas diz que intenção era resgatar sete ladrões de banco, segundo delegado Thiago Bardal

A Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) acredita que mais presos podem estar escondidos na região, conforme um dos fugitivos recapturados. “Em conversa informal eles disseram que na região se encontram outros foragidos” disse o delegado Thiago Bardal, titular da Seic.

De acordo com o delegado Thiago Bardal, a ação criminosa foi planejada com o intuito de resgatar sete detentos que fazem parte de uma quadrilha interestadual de assalto a banco.  (Veja novamente)

Os dois serão interrogados para explicar como se deu a fuga, assim como toda dinâmica do fato e posteriormente encaminhados novamente ao Complexo de Pedrinhas, rebatizado pelo atual governo como Complexo Penitenciário de São Luís.

Presos fugiram por buraco aberto em muro do CDP