Promotora Lítia Cavalcante pediu a interdição após constatação de risco aos moradores