Month: maio 2017 (page 1 of 10)

EUA usarão Centro de Alcântara para lançar foguetes, diz ministro

Centro de Alcântara deverá ser usado por países parceiros

O Centro de Lançamento de Alcântara vai ser usado pelos Estados Unidos, segundo afirmou o ministro da Defesa Raul Jungmann durante o Fórum de Investimentos Brasil 2017, realizado nesta quarta-feira (31), em São Paulo.

Segundo ele, o Ministério das Relações Exteriores fechou um acordo com os Estados Unidos, que deve ser o primeiro país a utilizar o centro. A França também enviou uma equipe que conheceu a unidade no mês passado. Ainda não há prazo, no entanto, para o início das operações.

Um Conselho Nacional de Espaço também será criado para servir como um comitê executivo que dará suporte à administração do centro de lançamentos.

O ministro destacou que o interesse dos outros países em usar a estrutura brasileira para lançar foguetes no espaço se dá pelo fato de o centro estar estrategicamente localizado, pois fica na Linha do Equador, que catalisa o impulso dos lançadores, economizando combustível utilizado nos foguetes.

Atualmente a base opera no lançamento de foguetes em menor escala. “Não tem lançamento de satélites, tem de foguetes de pesquisa.”

Saiba mais

Criado por meio do decreto federal nº 88.136 de 1º de março de 1983, o Centro realizou o lançamento de mais de 470 veículos espaciais nacionais e estrangeiros em um total de 95 operações realizadas até o ano passado. Por tudo isso, é conhecido como a “Janela Brasileira para o Espaço”.

Sua missão é executar as atividades de lançamento e rastreio de engenhos aeroespaciais. Também são realizados testes e experimentos de interesse do Comando da Aeronáutica, relacionados com a Política Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (PNDAE).

Policiais estavam envolvidos com vários crimes, afirma SSP

Policiais foram apontados como membros de quadrilha que praticava extorsões e roubos

Os policiais desaparecidos desde novembro de 2016 estariam envolvidos com crimes de extorsão, assaltos e associação criminosa envolvendo outros policiais militares do Maranhão, segundo revelou o delegado Jefferson Portela, responsável pela Secretaria de Segurança Pública.

As mortes do cabo Júlio César da Luz Pereira e do soldado Carlos Alberto Constantino Sousa, ambos da Polícia Militar do Maranhão, estaria relacionada a um desentendimento com outros componentes da quadrilha – formada por outros policiais militares.

Secretário foi enfático ao dizer que ambos estavam envolvidos em vários crimes

“Dessas ações criminosas (assaltos e extorsões), destas atividades ilícitas, decorreu outra ação criminosa contra estes policiais”, afirmou Portela durante coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (31) na sede da SSP, no bairro do Outeiro da Cruz.

A investigação policial apontou que Júlio César e Carlos Alberto foram punidos pelos comparsas porque estavam levando vantagem sobre o resto do bando, atuando paralelamente para obter ganhos sem repartir com os demais membros da facção.

Oficial e soldados da PM estão envolvidos no desaparecimento dos dois policiais

O tenente Josuel Alves de Aguiar foi preso em São Luís, enquanto o soldado Tiago Viana Gonçalves em Bom Jesus das Selvas, ambos durante a noite de terça-feira (30). Os dois estão custodiados no Comando Geral da Polícia Militar no MA. (Reveja)

Já o soldado Gladstone de Sousa está foragido e caso ele não se apresente em cinco dias será considerado um desertor da Polícia Militar. Anteriormente, a Polícia Civil havia informado que os três haviam sido presos, mas a informação foi corrigida nesta quarta-feira (31) durante coletiva.

Oficial e soldados da PM são presos pelo desaparecimento de dois policiais

Oficial e soldados da PM fora presos pelo desaparecimento de dois policiais

Um tenente e dois soldados da Polícia Militar do Maranhão foram presos por suspeita de envolvimento no desaparecimento do cabo Júlio César da Luz Pereira e soldado Carlos Alberto Constantino Sousa há mais de seis meses em Buriticupu, a 420 km de São Luís.

Os suspeitos foram identificados apenas como tenente Josuel Alves de Aguiar e soldados Gladstone de Sousa e Tiago Viana Gonçalves. Eles foram presos em cumprimento de mandando de prisão expedido pela Justiça Militar.

A prisão dos suspeitos atendeu ao pedido da delegada Nilmar da Gama Rocha à Justiça Militar, que decretou a prisão dos acusados. A representação é da Polícia Civil, que concluiu as investigações do caso.

Até hoje os corpos dos dois policiais desaparecidos nunca foram encontrados. A Secretaria de Segurança Pública marcou uma coletiva para as 10h, onde vai dar mais detalhes sobre as prisões dos militares e as razões do crime.

Início do mistério

Os soldados Carlos Alberto e Júlio César foram vistos pela última vez na noite do dia 17 de novembro em um carro, localizado posteriormente em um assentamento na zona rural de Buriticupu.

No dia do desaparecimento, Carlos se apresentou às 8h na 14º Companhia Independente da Polícia Militar, mas saiu mais cedo.

O cabo Júlio César da Luz Pereira, era lotado no município de Estreito, mas estava de licença médica e, por isso, morando em Buriticupu.

Atualizada às 12h35

PM é condenado por atropelar e matar pedestres em São Luís

Policial foi condenado, mas vai esperar o julgamento do recurso em liberdade

Cinco anos depois de ter atropelado e matado duas pessoas atropeladas, o policial militar Anderson Leandro Rodrigues, 33 anos, foi condenado a cumprir nove anos, oito meses e sete dias de prisão em regime fechado. O julgamento foi realizado nesta terça-feira (30), no Fórum Desembargador Sarney Costa.

A sentença foi divulgada após sete horas de julgamento. O júri foi formado por sete pessoas da comunidade. Apesar da condenação, o policial militar recorreu e permanecerá em liberdade até o julgamento do recurso.

Durante a audiência, quatro testemunhas foram ouvidas durante, inclusive o policial Anderson Rodrigues. Diante do juiz, Anderson disse que estava arrependido e confessou ter ingerido bebida alcoólica, além de estar acima da velocidade permitida.

Vítimas estavam sentadas no calçadão quando foram atropeladas

O acidente aconteceu na noite do dia 21 de setembro daquele ano, por volta das 23h. O policial perdeu o controle do veículo e acabou atropelando Elton Anderson Cantanhede Lima, de 29 anos, e a prima Ivone Costa Cantanhede, de 30 anos. O carro do PM foi parar perto da maré.

As vítimas estavam no calçadão da Praia da Ponta da Areia, quando o veículo do policial subiu a calçada e os atropelou. Na época, o policial militar passou um mês preso e depois voltou a trabalhar normalmente no 13º Batalhão da PM, em São José de Ribamar, onde foi promovido a cabo.

Carro foi parar perto da maré

Saiba mais
No primeiro julgamento realizado em 2015, Anderson sentou pela primeira vez no banco dos réus, sendo inocentado pela morte de Elton, mas condenado a 17 meses de prisão. Na época o MP pediu a anulação do julgamento.

No novo julgamento, o Ministério Público pediu a condenação do réu por homicídio doloso, quando há a intenção de matar. A defesa ainda tentou convencer os jurados que ele não teve a intenção de provocar o acidente. No entanto, não evitou a condenação.

Homem é preso por estuprar menina com deficiência mental

Homem mantinha vítima em cárcere privado e a violentava diariamente

Um homem foi preso suspeito de ter estuprado uma menina com deficiência mental na cidade de Caxias, cidade interior do Maranhão. O crime aconteceu em 2012, mas Mauricio de Jesus Pinho estava foragido no Piauí e foi preso quando veio visitar a mãe.

O suspeito mantinha a vítima em cárcere privado e a estuprava diariamente. Maurício vai responder por estupro de vulnerável e cárcere privado duplamente qualificado. Ele está preso e aguarda parecer da Justiça em uma cela da Unidade Prisional de Ressocialização de Caxias.

“Ele estava residindo no estado do Piauí e vinha esporadicamente à casa de familiares. Ao sabermos disso fizemos campana e conseguimos lograr êxito prendendo ele no começo da tarde de domingo” afirmou o delegado Jair Paiva.

Só neste ano, 18 pessoas foram pressas por estupro – sendo 16 por estupro vulnerável em Caxias. O mandado de prisão foi expedido pela juíza da quinta vara da comerca de Caxias, mas o processo estava suspenso por que ele estava foragido.

Saiba mais

De acordo com a da Rede Feminista de Juristas (DeFEMde), “crime de estupro é qualquer conduta, com emprego de violência ou grave ameaça, que atente contra a dignidade e a liberdade sexual de alguém”. O elemento mais importante para caracterizar esse crime é a ausência de consentimento da vítima.

Não é preciso haver penetração para que o crime se caracterize como estupro. Desde 2009 o Código Penal Brasileiro prevê, no artigo 213, que o estupro acontece quando há, com violência ou grave ameaça, “conjunção carnal ou prática de atos libidinosos”, prevendo penas que variam de seis a 10 anos de prisão, que podem ser agravadas caso o crime resulte em morte, lesões corporais graves ou seja praticado contra adolescentes de 14 a 18 anos incompletos.

Homem está a disposição da Justiça na Unidade Prisional de Ressocialização de Caxias

Três policiais são presos por tráfico, homicídio e extorsão

Três policiais foram presos por suspeita de envolvimento em vários crimes

Três policiais militares foram presos em Imperatriz, a 626 km de São Luís, suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas, homicídio e extorsão. Dois deles estão lotados em Imperatriz e outro é da PM do estado do Pará.

Os suspeitos foram identificados como Breno Duarte Bezerra e John Mike Barros de Sousa (ambos da PM do Maranhão), além de Helson Nascimento Assunção da cidade de Paragominas (PA). Eles estavam sendo investigados pelo Serviço de Inteligência da polícia há algum tempo.

Breno foi preso na tarde de segunda-feira (29). Ele faz parte da Companhia Independente de Amarante, lotado na cidade maranhense de Buritirana. É a segunda vez que ele é preso por suspeita de homicídio. Em setembro do ano passado foi preso por um duplo assassinato.

Além dele, a ação conjunta da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa e da Delegacia Regional de Imperatriz, deu cumprimento a mais dois mandados de prisão contra os policiais militares Jhon Mike Barros de Sousa, do 3° Batalhão, e Jack Helson Nascimento Assunção, de Paragominas, situado no estado do Pará.

Na casa do policial Jhon Mike, além das armas de uso, a polícia encontrou outras armas de fogo que serão periciadas. Na semana passada, outro policial foi preso, o soldado Hermano da Companhia Independente de Amarante. Ele esteve no quartel do 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM), mas foi transferido para a capital, por suspeita de corrupção ativa.

A operação Diamante Negro continua e outros pedidos de prisão podem ser feitos, segundo avaliou o comando operacional da ação.

Governo afasta servidores após fuga em Pedrinhas

Governo afastou servidores até conclusão do inquérito que investiga a fuga de presos por buraco aberto em muro do CDP

Os agentes que estavam de plantão no dia em que 36 presos fugiram de Pedrinhas foram afastados, segundo informou a Secretaria de Estado e Administração Penitenciária  (Seap).

Os presos fugiram após o ataque ao prédio da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6) ocorrido no último dia 21. Na ocasião explodiram parte do muro da cadeia. (Reveja)

Os servidores ficarão afastados até que a investigação da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) seja concluída. A secretaria não descarta a possibilidade de facilitação da fuga, por parte de algum servidor.

Neste fim de semana mais um fugitivo morreu em confronto com a polícia. Renato Costa Sousa era assaltante de banco e estava com uma pistola de uso restrito das forças de segurança (Reveja).

De acordo com o delegado Thiago Bardal, responsável pela Seic, a ação criminosa foi planejada com o intuito de resgatar sete detentos que fazem parte de uma quadrilha interestadual de assalto a banco.  (Veja novamente)

Saiba mais

Até agora 17 dos 36 presos foram recapturados, seis morreram e 13 continuam foragidos.  O número de foragidos foi atualizado pelo governo nesta quarta-feira (24), após recontagem dos presos.

A informação foi confirmada pelo delegado Thiago Bardal após a prisão de três foragidos em um bar na Vila Luizão, em São Luís.

Ato pela legalização da maconha foi realizado no Cohatrac

Ato reuniu centenas de pessoas

Manifestantes protestavam na tarde deste sábado (27) em favor da legalização da maconha, no bairro Cohatrac, em São Luís. A primeira Marcha da Maconha foi pacífica e terminou na Praça das Árvores.

Segundo os organizadores, pelo menos 200 pessoas participaram do evento que teve como tema principal o extermínio da juventude negra. A Polícia Militar acompanhou todo o percurso dos manifestantes para garantir a tranquilidade do evento.

Além da legalização, manifestantes pediam o fim da cultura de violência contra a juventude negra

Os manifestantes levavam cartazes, fantasias, e até uma muda da erva. Eles seguiram caminhada pela contramão, na pista sentido Avenida Contorno Leste, entraram na Avenida Contorno Leste Oeste, seguiram pela Avenida Contorno Norte Sul e Contorno Norte. Eles seguiram em direção à Praça das Árvores, onde o ato terminou com a apresentação de várias atrações culturais.

No Brasil, o direito a manifestações pela legalização das drogas está garantido desde 2011 por uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Entretanto, a substância ainda é proibida e sua liberalização sofre resistência no Congresso Nacional.

Até uma muda da planta foi levada durante passeata pacífica

Veja vídeo abaixo:

Veja mais imagens da passeata realizada no sábado (27)

Crédito: Layo Bulhão

Crédito: Layo Bulhão

Crédito: Layo Bulhão

Crédito: Layo Bulhão

Choque persegue e atropela suspeitos de assalto no Centro

Choque acabou atropelando suspeitos depois que eles caíram de moto

Uma perseguição envolvendo uma viatura do Batalhão de Choque da Polícia Militar e uma dupla suspeita de vários assaltos em uma motocicleta assustou moradores do bairro do Centro, na noite deste domingo (28).

Segundo informações da PM, os dois suspeitos estariam cometendo assaltos desde o fim da tarde na região do Coroado. No fim da noite a PM os encontrou e fez a abordagem, mas fugiram eles assim que os policiais se aproximaram.

Policiais tentam isolar a área após acidente

Durante a perseguição, a dupla teria perdido o equilíbrio e caído no final da Rua Caminho da Boiada, no cruzamento com a Rua do Passeio, em seguida, a viatura em alta velocidade teria atropelado os criminosos e se chocado com o muro, derrubando um poste da rede elétrica.

Um dos suspeitos acabou sendo atropelado pela viatura e morreu ainda no local. O comparsa teve apenas ferimentos leves e foi encaminhado para o Hospital Djalma Marques (Socorrão I). Os dois seriam moradores do Diamante e foram identificados apenas como Vanvan e Orelha.

Suspeito acabou morrendo por causa do atropelamento

Um vídeo feito por morador mostra a motocicleta no chão e os policiais tentando isolar a área para evitar que algum curioso chegassem muito próximo a cena. Veja o vídeo abaixo:

PMs fazem parto e salvam mãe e bebê após demora de ambulância

PMs são lotados na 2ª USC Coroadinho/Bom Jesus

Dois policiais militares tiveram que correr contra o tempo para realizar um parto inesperado, neste sábado (27), no bairro Bom Jesus, em São Luís. Eles tiveram que auxiliar uma adolescente grávida já que não existia nenhuma ambulância nas proximidades. Mãe e bebê foram encaminhados a Maternidade Marly Sarney e passam bem.

Segundo divulgado pela Polícia Militar, os policiais faziam serviços internos de rotina na 2ª Unidade de Segurança Comunitária (USC) do Coroadinho, quando foram acionados para ajudar a gestante. Ao chegarem à casa, a menina de 16 anos, estava deitada e já em trabalho de parto.

De imediato, os dois perceberam que o cordão umbilical estava estrangulando a criança. Naquele momento tiveram que decidir entre esperar ambulância com pessoal habilitado chegar ou tentar salvar a mãe e o bebê.

Policiais fizeram o parto e levaram mãe e bebê à maternidade na viatura

Os policiais escolheram pela segunda opção e realizaram os procedimentos básicos para ajudar a mãe a dar à luz ao pequeno Bryan Phellipe. Os PMs ainda levaram o bebê para a maternidade na própria viatura, pois a ambulância nunca apareceu.

Na Maternidade Marly Sarney, mãe e bebê foram entregues a equipe médica que já estava de prontidão para o atendimento. A equipe médica informou que os policiais salvaram a vida da criança e de sua mãe. Ambos passam bem e já receberam visita dos seus heróis: os soldados Camargo e Valdson.

Relembre

No começo do mês, policiais militares salvaram a vida da criança no bairro João Paulo. A menina de cinco anos passou mal em casa e durante o trajeto ao hospital acabou sufocando. Na ocasião, policiais do Batalhão Tiradentes realizaram o resgate e levaram a garota ao hospital. (Reveja)

Older posts

© 2018 Blog do Michel Sousa

Blog desenvolvido por: Bruno AlvesUp ↑